Loading...
Larger font
Smaller font
Copy
Print
Contents
  • Results
  • Related
  • Featured
No results found for: "undefined".
  • Weighted Relevancy
  • Content Sequence
  • Relevancy
  • Earliest First
  • Latest First
    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents

    Capítulo 9 — Confirmando a nova experiência

    A luta que segue ao reavivamento — Depois do derramamento do Espírito de Deus em Battle Creek1, foi provado no colégio que um tempo de grande luz espiritual é também um tempo de correspondentes trevas espirituais. Satanás e suas legiões de instrumentos satânicos se acham em campo, forçando seus poderes a fim de tornar de nenhum efeito os chuveiros da graça que vieram do Céu para reavivar e vivificar as energias adormecidas para ação decidida a fim de transmitir aquilo que Deus comunicou. Houvessem todas as muitas pessoas, então esclarecidas, ido imediatamente trabalhar a fim de transmitir a outras aquilo que Deus lhes dera justamente para esse desígnio, mais luz haveria sido dada, mais poder concedido. Deus não comunica luz apenas para uma pessoa, mas para que ela a difunda, e Deus seja glorificado. É sentida sua influência.RV 55.1

    Em todos os séculos períodos de reavivamento espiritual e o derramamento do Espírito Santo foram seguidos de trevas espirituais e dominante corrupção. Tomando em consideração aquilo que Deus concedeu em oportunidades, privilégios e bênçãos em Battle Creek, a igreja não tem feito honroso progresso no efetuar sua obra, e a bênção de Deus não repousará sobre a igreja no aumentar ainda mais a luz, enquanto não for usada aquela que Ele mandou em Sua Palavra. A luz que poderia resplandecer em raios claros e distintos, enfraquecerá em meio da escuridão moral. O poder ativo da verdade de Deus é dependente da cooperação do instrumento humano com Ele em piedade, zelo e abnegados esforços para levar a luz da verdade a outros. — Manuscrito 45, 1893.RV 55.2

    Não confundir a obra do Espírito com o fanatismo — Têm-me sido escritas coisas em relação com a operação do Espírito de Deus na última assembleia [1893], e no colégio, que indicam claramente que, por causa dessas bênçãos não terem sido vividas à altura, mentes ficaram confundidas e aquilo que era luz do Céu foi chamado de emoção. Entristeceu-me que esse assunto fosse considerado nesse aspecto. Cumpre-nos ser muito cuidadosos de não ofender o Espírito de Deus, não declarando que Seu ministério é uma espécie de fanatismo. Como compreenderemos a operação do Espírito de Deus, se ela não foi revelada em linhas claras e inequívocas, não somente em Battle Creek, mas em muitos lugares?RV 55.3

    Não me surpreendo de que alguém tenha ficado confundido ante os resultados posteriores. Mas em minha experiência dos quarenta e nove anos passados tenho visto muito dessas coisas, e conheci que Deus operou de maneira notável; e ninguém se aventure a dizer que isso não é do Espírito de Deus. É justamente isso que estamos autorizados a crer e por tal orar, pois Deus está mais disposto a dar o Espírito Santo aos que Lho pedem, do que estão os pais a dar boas dádivas a seus filhos. O Espírito Santo, porém, não é para ser utilizado pelo agente humano; é para utilizar e usar o instrumento humano. Que Deus abençoou abundantemente os alunos na escola e na igreja, não tenho disso nenhuma dúvida; mas um período de grande luz e o derramamento do Espírito é geralmente seguido de um tempo de grande treva. Por quê? Porque o inimigo opera com todas as suas enganadoras energias para anular o efeito da profunda operação do Espírito de Deus no ser humano.RV 56.1

    Quando os alunos da escola foram para seus jogos de competição e de futebol [americano], quando se absorveram nos divertimentos, Satanás achou boa ocasião de entrar e neutralizar o Espírito de Deus. Houvessem os professores coerentemente cumprido seu dever, compreendido sua responsabilidade, houvessem eles se colocado em independência moral perante Deus, usado a capacidade que Deus lhes dera segundo a santificação do espírito pelo amor da verdade, e teriam tido força espiritual e divina iluminação para ir avante e mais avante e acima na escada do progresso, em direção ao Céu. É evidente que eles não apreciaram nem andaram na luz ou seguiram a Luz do mundo.RV 56.2

    É coisa fácil dissipar ociosamente, desfazer falando ou brincando, a influência do Espírito Santo. Andar na luz é manter-se progredindo em direção à luz. Se a pessoa abençoada se torna negligente e desatenta e não vigia em oração, se não ergue a cruz e leva o jugo de Cristo, se seu amor pelas diversões e esforço pelo domínio lhe absorve a força ou a capacidade, então não é dado a Deus o primeiro e o último lugar em tudo, e Satanás entra para desempenhar sua parte no jogo da vida. Ele pode jogar muito mais diligentemente do que as pessoas, e faz tramas complicadas para comprometer a salvação. [...]RV 56.3

    Os resultados depois da operação do Espírito de Deus em Battle Creek não são devidos ao fanatismo, mas porque aqueles que foram abençoados não mostraram os louvores dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz; e quando a Terra for iluminada com a glória de Deus, alguns não saberão o que é isso, e de onde veio, porque aplicaram mal e mal-interpretaram o derramamento do Espírito sobre eles. Deus é um Deus zeloso de Sua glória. Não honrará aqueles que O desonram. Algumas pessoas que vivem na luz deviam haver instruído esses jovens na experiência a andarem na luz depois de haverem-na recebido. Gostaria de ter tempo para escrever mais, mas receio que não o terei. — Carta 58, 1893.RV 56.4

    Caminhos fáceis para perder a bênção — Algumas coisas me têm vindo ultimamente com grande força ao espírito e sinto-me constrangida pelo Espírito de Deus a escrever relativamente a elas. Abriu o Senhor misericordiosamente as janelas do Céu e derramou sobre nós uma bênção? Então esse era justamente o tempo de educar os professores e alunos a reterem o precioso favor de Deus trabalhando em harmonia com a maior iluminação, e irradiando seus preciosos raios para outros. Foi comunicada uma luz do Céu? Por que foi ela comunicada? Para que resplandecesse em obras de justiça. Quando os que foram assim abundantemente abençoados forem vistos com mais profunda e fervorosa piedade, tendo o senso de haverem sido comprados com o precioso sangue do Cordeiro de Deus e acharem-se revestidos com Sua salvação, vão representar a Cristo?RV 57.1

    Não têm os jogos, e prêmios, e o uso das luvas de boxe estado a educar e preparar segundo a direção de Satanás, para levá-los à posse dos atributos dele? Que seria se eles pudessem ver a Jesus, o Homem do Calvário, a contemplá-los com dor, tal como me foi apresentado! As coisas estão por certo a receber um molde errado, e estão neutralizando a obra do poder divino compassivamente outorgado. A obra de todo verdadeiro cristão é representar a Cristo, refletir a luz, exaltar as normas morais, e pela palavra e a influência consagradas a Deus, compelir os descuidosos e negligentes a pensar em Deus e na eternidade. O mundo de boa vontade deixaria fora de suas cogitações a eternidade, mas não o conseguirão enquanto houver pessoas que representem Cristo em sua vida prática.RV 57.2

    Cada crente forma um elo na corrente de ouro que se liga a Jesus Cristo, e é o meio de comunicação dessa luz para os que se encontram em trevas. Perca alguém sua ligação com Cristo, e Satanás aproveita a oportunidade para levá-lo a desonrar a Cristo por palavras, pensamentos e ações, e assim o caráter de Cristo é mal-interpretado. Pergunto-lhe, meu irmão, se a religião de Jesus Cristo não é mal compreendida pelo excesso de divertimentos. Quando o Senhor deu a Battle Creek as riquezas de Sua graça, havia ali pessoas de responsabilidade que poderiam haver encaminhado essas pessoas quanto à maneira de aperfeiçoarem a dotação, ao fazer obra boa e útil que proporcionaria variação de seus estudos que não fossem a agitação e as emoções causadas por seus jogos? Essa espécie de passatempo não está melhorando a mente, nem o espírito e nem os procedimentos de preparação para as cenas de prova em que breve deverão ocorrer. A piedade superficial, imitação da religião, será consumida quando provada na fornalha.RV 57.3

    O Senhor gostaria que os professores considerassem o contágio de seu próprio exemplo. Eles necessitam orar muito mais e considerar que as convicções que emanam de uma vida bem ordenada e de uma piedosa conversação, de um cristianismo vivo e resoluto, são o preparo do jardim do coração para as sementes da verdade serem plantadas para uma frutífera colheita, e para o Sol da justiça quando Ele vier trazendo cura em Seus raios. Assim resplandeça a justiça diante dos homens, “para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus”. Mateus 5:16. Vós sois, disse Cristo a Seus discípulos, “o sal da Terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens”. Mateus 5:13. A igreja ilumina o mundo, não por sua declaração de piedade, mas por sua manifestação do poder transformador e santificador da verdade na vida e no caráter. [...]RV 58.1

    O tempo se acha demasiado cheio de sinais do vindouro conflito para estarmos levando a juventude aos divertimentos e jogos. — Carta 46, 1893.RV 58.2

    Transformando luz em trevas — O Senhor condescendeu em dar-nos um derramamento de Seu Espírito Santo. Nas reuniões campais e em nossas várias instituições, grande bênção tem sido derramada sobre nós. Temos sido visitados pelos mensageiros celestiais de luz, verdade e poder, e não deve ser considerado coisa estranha que Deus assim nos abençoe. Como submete Cristo Seu povo escolhido a Ele? — Pelo poder de Seu Espírito Santo; pois o Espírito Santo, por intermédio das Escrituras, fala à mente, e imprime a verdade no coração das pessoas. Antes de Sua crucifixão, Cristo prometeu que o Consolador seria enviado aos discípulos. Ele disse: “Convém-vos que Eu vá, porque, se Eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, Eu for, Eu vo-Lo enviarei. Quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: quando vier, porém, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele Me glorificará, porque há de receber do que é Meu e vo-lo há de anunciar”. João 16:7, 8, 13, 14.RV 58.3

    Essa promessa de Cristo tem sido menosprezada, e devido a uma escassez do Espírito de Deus, a espiritualidade da lei e suas obrigações eternas não têm sido compreendidas. Os que têm professado amar a Cristo, não têm compreendido a relação que existe entre eles e Deus, e ela é ainda fracamente delineada ao seu entendimento. Eles só vagamente discernem a surpreendente graça de Deus em dar Seu Filho unigênito para salvação do mundo. Não percebem de quão vasto alcance são as reivindicações da santa lei, quão profundamente os seus preceitos devem ser introduzidos na vida prática. Não avaliam quão grande privilégio e necessidade são a oração e o arrependimento, e o cumprimento das palavras de Cristo. É a obra do Espírito Santo revelar à mente a espécie de consagração que Deus aceita. Mediante a obra do Espírito Santo, é iluminada a mente, e o caráter é renovado, santificado e enobrecido.RV 58.4

    Mediante a profunda influência do Espírito de Deus, tem sido apresentado diante de mim o caráter de Sua obra. Foi-me revelado o perigo que correm as pessoas conduzidas pelo Espírito; pois têm de enfrentar posteriormente mais violentos assaltos do inimigo, que reforça sobre elas suas tentações a fim de anular a operação do Espírito de Deus, e fazer com que as importantes verdades apresentadas e testemunhadas não purifiquem ou santifiquem aqueles que recebem a luz do Céu, fazendo assim com que Cristo não seja neles glorificado.RV 59.1

    O período de grande luz espiritual, caso essa luz não seja sagradamente acariciada e seguida, se transformará num tempo de correspondente treva espiritual. A impressão produzida pelo Espírito de Deus, se as pessoas não nutrirem a sagrada impressão e ocuparem terreno santo, se desvanecerá da mente. Os que quiserem avançar no conhecimento espiritual, precisam permanecer junto à própria fonte de Deus, e beberem repetidamente do manancial da salvação tão benignamente a eles franqueado. Precisam apegar-se à fonte do refrigério; e com o coração dilatado de reconhecimento e amor ante a manifestação da bondade e compaixão de Deus, importa prosseguirem como participantes da água viva.RV 59.2

    Oh! quanto significa isto para todas as pessoas: “Eu sou a luz do mundo”. João 8:12. “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a Mim não terá fome [pois coisa alguma assim satisfaz]; e quem crê em Mim nunca terá sede”. João 6:35. Chegar a essa situação quer dizer que encontramos a Fonte da luz e do amor, e aprendemos quando e como podemos ser reabastecidos, e que podemos fazer uso das promessas de Deus mediante o aplicá-las de contínuo à vida.RV 59.3

    “Porém Eu já vos disse que, embora Me tenhais visto, não credes”. João 6:36. Isso se tem cumprido literalmente no caso de muitos; pois o Senhor lhes deu mais profunda visão da verdade, de Seu caráter de misericórdia, compaixão e amor; e ainda depois de haverem sido assim iluminados, desviaram-se dEle através da incredulidade. Viram a profunda operação do Espírito de Deus; mas quando as estratégicas tentações de Satanás penetraram, como sempre acontece depois de um período de reavivamento, eles não resistiram até o sangue, lutando contra o pecado; e os que poderiam haver ocupado terreno vantajoso, houvessem feito o devido uso do precioso esclarecimento que possuíam, foram vencidos pelo inimigo. Deviam ter refletido sobre os outros a luz que Deus lhes comunicara. Deviam ter trabalhado e agido em harmonia com as sagradas revelações do Espírito Santo; e por não fazerem assim sofreram dano.RV 59.4

    Vitória espiritual perdida na paixão pelos folguedos — Entre os alunos havia condescendência com o espírito de divertimento e de galhofa. Ficaram tão interessados em jogar partidas que o Senhor foi excluído de sua mente; e Jesus Se achava ali, no campo de jogo, dizendo: “Ah! Se conheceras por ti mesma, ainda hoje, o que é devido à paz!” Lucas 19:42. “Porém Eu já vos disse que, embora Me tenhais visto, não credes”. João 6:36. Sim, Cristo Se revelou, e profundas impressões foram feitas pela influência do Espírito Santo no coração; mas prosseguiram numa direção pela qual perderam essas sagradas impressões, e deixaram de conservar a vitória. “Todo aquele que o Pai Me dá, esse virá a Mim; e o que vem a Mim, de modo nenhum o lançarei fora”. João 6:37. Começaram a ir a Cristo; mas não continuaram em Cristo. Abandonaram a Cristo, e a compreensão que tiveram dos grandes favores e bênçãos que Ele lhes havia concedido perdeu-se do coração. A questão do divertimento ocupou tão largamente o espírito, que depois da solene visitação do Espírito de Deus, passaram a discuti-la com tão grande zelo que todas as barreiras foram afastadas; e por causa da paixão pelos jogos, negligenciaram dar ouvidos à palavra de Cristo: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação”. Marcos 14:38. O lugar que devia haver sido ocupado por Jesus foi usurpado pela paixão por jogos. Preferiram os divertimentos aos confortos do Espírito Santo. Não seguiram o exemplo de Jesus, que disse: “Eu desci do Céu, não para fazer a Minha própria vontade, e sim a vontade dAquele que Me enviou”. João 6:38.RV 60.1

    A mente de muitos se acha tão emaranhada com seus desejos e inclinações, e eles têm estado tão habituados a condescender com isso, que não podem compreender o verdadeiro sentido das Escrituras. Muitos supõem que, seguindo a Cristo, serão obrigados a ser sombrios e desconsolados, porque lhes é exigido que se reneguem aos prazeres e folguedos com que o mundo condescende. O cristão vivo será cheio de alegria e paz, porque vive como vendo Aquele que é invisível; e os que buscam a Cristo em Seu genuíno caráter têm em si os elementos da vida eterna, porque são participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção que há no mundo pela concupiscência. Jesus disse: “E a vontade de quem Me enviou é esta: que nenhum Eu perca de todos os que Me deu; pelo contrário, Eu o ressuscitarei no último dia. De fato, a vontade de Meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nEle crer tenha a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia”. João 6:39, 40.RV 60.2

    O filho de Deus, um coobreiro de Deus — Toda vida espiritual é derivada de Jesus Cristo. “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”. João 1:12. Mas qual é o resultado de tornar-se filho de Deus? A mais imediata consequência é tornar-nos coobreiros Seus. Há uma grande obra de salvação a ser feita em função da nossa salvação, e também para nos habilitar a conquistar outros da incredulidade para uma vida sustida pela fé em Cristo Jesus. “Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em Mim (com uma fé casual? — Não, com uma fé permanente que opera por amor e purifica a alma) tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Eu sou o pão vivo que desceu do Céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que Eu darei pela vida do mundo é a Minha carne. [...] Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o Seu sangue, não tendes vida em vós mesmos. Quem comer a Minha carne e beber o Meu sangue tem a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia. O Espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos tenho dito são espírito e são vida. Contudo, há descrentes entre vós. Pois Jesus sabia, desde o princípio, quais eram os que não criam e quem O havia de trair. E prosseguiu: Por causa disto, é que vos tenho dito: ninguém poderá vir a Mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido”. João 6:47, 48, 51, 53, 54, 63-65.RV 61.1

    Ao proferir Jesus essas palavras, falou-as com autoridade, segurança e poder. Em certas ocasiões, Ele Se manifestava de tal maneira que a profunda atuação de Seu Espírito era sensivelmente percebida. Muitos, porém, que viram e ouviram e tomaram parte nas bênçãos da hora, foram embora, e em breve esqueceram a luz que Ele lhes havia dado.RV 61.2

    Os tesouros da eternidade foram confiados à guarda de Jesus Cristo, para dar a quem Ele queria; mas quão triste é que tantos perdem rapidamente de vista a preciosa graça que lhes é oferecida pela fé nEle! Ele concederá os tesouros celestiais aos que crerem nEle, olharem a Ele, e nEle permanecerem. Ele não teve por usurpação ser igual a Deus, e não conhece restrição nem controle no outorgar os tesouros celestiais a quem quiser. Não exalta nem honra aos grandes do mundo, lisonjeados e aplaudidos; mas convida Seu povo escolhido, peculiar, que O ama e serve, a ir a Ele e pedir, e Ele lhes dará o pão da vida, e a água da vida, a qual será neles uma fonte que salta para a vida eterna.RV 61.3

    Jesus trouxe a nosso mundo os acumulados tesouros de Deus, e todos os que nEle crerem são adotados como herdeiros Seus. Ele declara que grande será a recompensa dos que sofrerem por amor de Seu nome. Está escrito: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, nem subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que O amam”. 1 Coríntios 2:9. — The Review and Herald, 30 de Janeiro de 1894.RV 62.1

    Foi a bênção acariciada? — A fim de aumentar nossa dotação espiritual, é necessário andar na luz. Em vista do acontecimento que é a breve volta de Cristo, precisamos trabalhar vigilantemente no preparo para essa ocasião, manter nossa lâmpada limpa e acesa, resplandecendo a fim de impressionar a outros quanto à necessidade de preparar-se para a vinda do Esposo. Vigilância e trabalho precisam andar juntos; a fé e as obras precisam estar unidas, do contrário nosso caráter não será simétrico e equilibrado, perfeito em Cristo Jesus.RV 62.2

    Se nos entregássemos tão somente a piedosa meditação, nossa luz se iria enfraquecendo, pois foi-nos dada para que possamos comunicar a outros, e quanto mais comunicarmos luz, tanto mais brilhante ela se torna. Se há uma coisa no mundo com a qual possamos manifestar entusiasmo seja o promover a salvação das pessoas por quem Cristo morreu. Uma obra dessa espécie não nos fará negligenciar a piedade individual. É-nos dada a exortação de não sermos “vagarosos no cuidado”, antes “fervorosos no espírito, servindo ao Senhor”. Romanos 12:11.RV 62.3

    Olhar unicamente à glória de Deus quer dizer nutrir um só desígnio, manifestar a obra que foi feita em nosso coração, que nos sujeita à vontade de Deus, e leva cativo todo pensamento à glória de Deus. O mundo tem estado com os olhos em nós, para ver qual a influência posterior da obra de reavivamento que veio ao colégio, ao hospital, ao escritório de publicações e aos membros da igreja de Battle Creek. Que testemunho temos dado em nossa vida diária e pelo nosso caráter?RV 62.4

    Deus esperava que todos nós procedêssemos da melhor forma possível, não para nos agradarmos, divertir-nos e glorificar-nos, mas para honrá-Lo em todos os caminhos, devolvendo-Lhe segundo a luz e os privilégios que nos tem dado mediante a Sua graça. Esperava que testificássemos perante os seres celestiais, fôssemos testemunhas vivas diante do mundo, do poder da graça de Cristo. O Senhor nos provou, a ver se trataríamos Sua preciosa bênção como coisa comum, leve, ou a consideraríamos como valioso tesouro a ser tratado com reverente respeito. Houvessem todos lidado com o dom de Deus por essa maneira — pois a obra era dEle — então, segundo a medida da responsabilidade de cada um, a graça dada haveria sido duplicada, como os talentos do que negociou diligentemente com o dinheiro de seu Senhor.RV 62.5

    Bênção transformada em maldição — Deus tem estado a testar a fidelidade de Seu povo, provando-o para ver que emprego foi dado à preciosa bênção que lhes confiou. Essa bênção veio de nosso Intercessor e Advogado nas cortes celestiais; mas Satanás estava pronto a entrar por qualquer passagem, de modo a transformar a luz e bênção em trevas e maldição.RV 63.1

    Como pode a bênção mudar-se em maldição? Persuadindo o instrumento humano a não acalentar a luz, ou a não revelar ao mundo que ela foi eficaz na transformação do caráter. Possuído do Espírito Santo, o instrumento humano se consagra a cooperar com instrumentos divinos. Leva o jugo de Cristo, ergue seus fardos e trabalha segundo Cristo a fim de ganhar preciosas vitórias. Anda na luz assim como Cristo na luz está. Cumpre-se nele o texto bíblico: “Todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”. 2 Coríntios 3:18.RV 63.2

    Outro ano passou para a eternidade agora com seu peso de registros; e a luz que brilhou do Céu sobre nós devia preparar-nos para nos erguermos e resplandecer, para manifestar os louvores de Deus ao mundo como Seu povo observador dos mandamentos. Devíamos ter sido testemunhas vivas; mas se nenhum esforço especial por um caráter elevado e santo dá testemunho perante o mundo, se nenhum emprego maior de força se tem feito do que aquele que se vê nas igrejas populares de hoje, então, o nome de Deus não tem sido honrado e Sua verdade não tem sido engrandecida perante o mundo, mediante o apresentar credenciais divinas da parte do povo que recebeu grande luz. Se eles não receberam maior apreciação pelo poder manifesto de Deus do que comer e beber e levantarem-se para folgar, como fez o antigo Israel, então, como pode o Senhor fazer Seu povo depositário de preciosas e benévolas manifestações? Se agem justamente ao contrário em quase todos os sentidos quanto à conhecida vontade de Deus, e são encontrados em descuido, leviandade, em egoísmo, ambição e orgulho, corrompendo seus caminhos diante do Senhor, como pode Ele dar-lhes outro derramamento do Espírito Santo?RV 63.3

    Deus tem para Seu povo as mais ricas bênçãos; não as pode conceder, porém, enquanto eles não souberem como tratar esse precioso dom no manifestar os louvores dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. “Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual pelo gozo que Lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-Se à destra do trono de Deus”. Hebreus 12:1, 2. Uma porção da alegria que estava proposta a Cristo, era a satisfação de ver Sua verdade armada do poder onipotente do Espírito Santo, imprimindo Sua imagem na vida e no caráter de Seus seguidores.RV 63.4

    Seres divinos cooperam com instrumentos humanos ao buscarem eles magnificar a lei e fazê-la gloriosa. A lei do Senhor é perfeita, convertendo a alma. É na pessoa convertida que o mundo vê um testemunho vivo. Então terá o Senhor do Céu lugar para operar? Encontrará Ele margem no coração dos que professam crer na verdade? Encontrará Sua pura e desinteressada benevolência resposta da parte do instrumento humano? Verá o mundo uma manifestação da glória de Cristo no caráter daqueles que professam ser Seus discípulos? Será Cristo favorecido e glorificado em ver Sua própria compaixão e amor sendo derramados em torrentes de bondade e verdade de Seus instrumentos humanos? Ao implantar Seu evangelho no coração, Ele está a derramar os recursos do Céu para benefício do mundo. “Nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus”. 1 Coríntios 3:9.RV 64.1

    Que tem a rica bênção de Deus feito por aqueles que eram humildes e contritos de coração para recebê-la? Tem sido a bênção nutrida? Têm os recebedores mostrado os louvores dAquele que os chamou das trevas para Sua maravilhosa luz? Alguns há que já estão duvidando da obra que foi tão boa, e que devia haver sido altamente apreciada. Estão-na considerando como uma espécie de fanatismo.RV 64.2

    Extremamente cuidadosos — Não seria de surpreender se houvesse alguns que, não sendo muito equilibrados mentalmente falassem e agissem indiscretamente; pois onde quer e quando quer que o Senhor opere no conceder genuína bênção, revela-se sempre também uma falsificação, de modo a anular a obra verdadeira de Deus. Devemos, portanto, ser extremamente cuidadosos, e andar humildemente diante de Deus, para que possamos ter o colírio espiritual e distinguir a operação do Espírito Santo de Deus da manifestação daquele espírito que quer introduzir desenfreada licença e fanatismo. “Pelos seus frutos os conhecereis”. Mateus 7:20. Os que estão realmente contemplando a Cristo, serão transformados à Sua imagem, como pelo Espírito do Senhor, e crescerão à plena estatura de homens e mulheres em Cristo Jesus. O Espírito Santo de Deus inspirará às pessoas amor e pureza; e manifestar-se-á refinamento em seu caráter.RV 64.3

    Mas pelo fato de alguns se apropriarem indevidamente das ricas bênçãos do Céu, outros irão negar que Jesus, o Salvador do mundo, tem passado por nossas igrejas para abençoar? Não vamos discutir a dúvida e a incredulidade; pois assim fazendo, estaremos pisando terreno perigoso. Deus deu Seu Espírito Santo aos que abriram a porta do coração ao dom celestial. Não cedam, porém, eles à tentação de crer posteriormente que foram enganados. Não digam: “Visto que sinto trevas, e estou opresso de dúvidas, e nunca vi tão manifesto como agora o poder de Satanás, fui certamente enganado.” Aconselho-os a ser cuidadosos. Não semeemos sequer uma expressão de dúvida. Deus operou por nós, pondo em real contato com o coração sadias doutrinas da verdade. Bênçãos nos foram dadas, para que produzissem frutos em práticas sãs e caráter reto.RV 64.4

    O pecado de rejeitar a evidência — O pecado pelo qual Cristo reprovou Corazim e Betsaida [Mateus 11:21] foi o de rejeitar a evidência que haveria convencido da verdade seus moradores, caso houvessem eles cedido a seu poder. O pecado dos escribas e fariseus foi o de colocar a obra celestial que fora feita diante deles nas trevas da incredulidade, de maneira que a evidência que os deveria haver levado a uma firme fé foi posta em dúvida, e as coisas sagradas que deveriam haver sido abrigadas, consideradas como de nenhum valor. Temo que o povo haja permitido ao inimigo operar nesse mesmo sentido, de maneira que o bem que emanou de Deus, as ricas bênçãos que Ele deu, chegaram a ser consideradas por alguns como fanatismo.RV 65.1

    Caso essa atitude seja conservada, então, quando o Senhor fizer novamente Sua luz brilhar sobre o povo, ele se desviará da iluminação celestial, dizendo: “Senti a mesma coisa em 1893, e alguns em quem tenho confiado disseram que essa obra era fanatismo.” Não hão de aqueles que receberam a preciosa graça de Deus, e que tomaram a atitude de que a operação do Espírito de Deus era fanatismo, estar dispostos a acusar a obra do Espírito de Deus no futuro, e o coração ser assim prova contra as solicitações da voz mansa e delicada? O amor de Jesus pode ser apresentado aos que assim se entrincheiram contra ele, e não exercer sobre eles nenhum poder constrangedor. As riquezas da graça do Céu podem ser concedidas e todavia rejeitadas, em vez de serem acolhidas e reconhecidas com gratidão. Com o coração as pessoas creram para a justiça e por algum tempo fizeram confissão para a salvação; mas, é triste dizê-lo, o que a recebeu não cooperou com os seres celestes, nem estimou a luz mediante o praticar as obras de justiça. — The Review and Herald, 6 de Fevereiro de 1894.RV 65.2

    Larger font
    Smaller font
    Copy
    Print
    Contents